01/06/2011

Seis em cada 100 residências em Salvador possuem focos da dengue

Em Salvador, o mosquito da dengue não fica sem lar. Seis a cada 100 residências da cidade possuem focos do inseto transmissor da doença. O índice de 6% é considerado de alto risco para ocorrência de epidemia, segundo parâmetros do Ministério da Saúde. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirmou ontem que o Índice de Infestação Predial (IIP) da capital baiana subiu de 3% em janeiro para 6% em maio.

Como o CORREIO antecipou  na edição de ontem,  o 2º Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) de 2011, concluído na semana passada pela SMS e Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), identificou que nos 12 distritos sanitários da cidade  houve aumento acentuado.

A coordenadora do programa municipal de combate à dengue, Elaci Costa, informou que o índice é mais acentuado no Itaigara, Pituba, Caminho das Árvores, Amaralina, Ondina e Federação, que corresponde ao distrito Barra/ Rio Vermelho. Esse distrito tem taxa de infestação de 8%, maior quantidade de focos do mosquito do que no Subúrbio.

E não faltam focos por esses bairros da cidade. Só na praia do Rio Vermelho, cerca de dez barcos servem como reservatórios de água parada. Além das embarcações, garrafas pets cheias d’água e pneus também estavam expostos ao mosquito.

Os pescadores tentam justificar: “Só deixamos os barcos com água à noite para os sacizeiros não dormirem dentro”, relata um pescador, sem se identificar.
Em Ondina, a realidade se repete, na piscina de um hotel falido. O espaço está completamente cheio de água e, ao lado, há ainda um tanque aberto que serve como campo para proliferação do mosquito.

Índice
A SMS disse que informará até sexta-feira o índice de infestação por cada distrito sanitário de Salvador. O órgão municipal  informou que o Centro de Controle de Zoonoses já está trabalhando na execução de um novo plano de trabalho contra a dengue, que prevê a intensificação dos mutirões de limpeza nos bairros com alto Índice de Infestação Predial ou que tenham registrado casos de dengue.

Além disso, será reforçada a atuação nas obras da construção civil, a distribuição de capas para cobertura de depósitos e será ampliada a campanha de orientação em comunidades em todos os bairros da capital. Apesar do aumento do IIP da cidade, houve redução do número de casos de dengue em relação a 2010. Até o início do mês de maio, foram notificados 1.244 casos da doença em Salvador, uma redução de 26% em relação ao mesmo período do ano passado.

Fonte: Correio da Bahia

Última atualização: 01/06/2011

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais

Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem