04/04/2011

Pico de dengue no Rio pode durar mais três semanas, diz secretário

O município do Rio de Janeiro, que já conta com 13.830 casos de dengue notificados e oito mortes confirmadas até o mês de março, vive o momento de pico da doença, que ainda pode durar mais três semanas. A informação é do secretário municipal de Saúde e Defesa Civil, Hans Dohmann, que falou com o G1 nesta sexta-feira (1º).

“Estamos dentro de um momento de um ciclo normal, que aponta como pico e que deve durar até daqui a três semanas”, disse o secretário, ressaltando que não há como prever até quando a cidade sofrerá o aumento do número de casos da doença.

Segundo ele, a proliferação da dengue é multifatorial. Depende tanto da ação da sociedade no combate ao foco, como também da chuva, do calor, da duração do dia, entre outros fatores. Dohmann explicou que já era previsível que a cidade atingisse um pico de número de casos.

Ciclos
O ciclo da doença pode acontecer a cada três anos ou até mesmo a cada cinco anos. A cidade do Rio apresentou epidemia entre 2001 e 2002 e depois voltou a sofrer com o surto da doença entre 2007 e 2008.

“É o ciclo da doença normal. A doença tem a sua curva, a cada ano se forma uma nova curva, sabemos isso por observação da natureza. O ciclo do mosquito é assim”, disse o secretário.

Na quinta-feira (31), a Secretaria estadual de Saúde informou que dez municípios do Rio de Janeiro estão com epidemia de dengue. O órgão anunciou que já foram registradas 24 mortes no estado.

Rio é o município que registrou
mais mortes no estado
O Rio é o município com o maior número de mortes por dengue no estado. De acordo com Dohmann, o número de mortes, que ele diz estar abaixo da taxa dos outros anos de epidemia, preocupa e é o principal foco da secretaria.

“A gente monitora como estão os atendimentos nos postos, se há sobrecarga. Vendo aumentos de casos nas regiões, tomamos medidas para aumentar a oferta de atendimento. Esse é o principal mecanismo para manter o menor índice de mortalidade”, explicou.

Dohmann disse ainda que a segunda prioridade é a prevenção. Em 2010, segundo ele, o município registrou a maior taxa de visitação de imóveis. No final do ano, o efetivo de agentes foi dobrado e a previsão é de aumentar ainda mais.

Mapa da dengue
A partir deste sábado (2), um relatório de mapeamento dos focos da dengue poderá ser feito pela população do Rio em parceira com o poder público. A Secretaria municipal de Saúde e Defesa Civil realiza, às 8h30, uma caminhada contra a dengue, com o objetivo de mobilizar pessoas e instituições a apontar possíveis focos do mosquito. Essa é a primeira vez que será possível traçar um mapa dos lugares com foco da dengue.

Agentes de saúde estarão no evento, orientando os participantes sobre a identificação de focos do mosquito transmissor da doença. Os dados passarão a ser acompanhados em tempo real do Centro de Operações Rio.

Ao todo, serão 200 grupos de caminhadas distribuídos por toda a cidade. Para participar, basta procurar uma unidade de saúde da prefeitura. Os participantes se reunirão nas unidades, de onde sairão em pequenos grupos para vistoriar ruas, imóveis e estabelecimentos de cada região acompanhados e orientados por agentes de saúde.

As informações serão coletadas pelo teleatendimento 1746, pelo site da SMSDC ou ainda por formulários que serão distribuídos no local.

Fonte: G1

Última atualização: 04/04/2011

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais

Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem