15/04/2011

Perigos da automedicação em caso de Dengue

Em que pese a necessidade de amenizar os sintomas desagradáveis da doença, como dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, dores nas juntas, prostração e vermelhidão no corpo, o paciente deve se acautelar contra a automedicação e remédios caseiros que muitas vezes contribuem para o agravamento do quadro da doença. Nos primeiros sinais de Dengue, deve-se procurar tratamento médico para amenizar os sintomas, pois o próprio sistema imunológico do paciente acaba com o vírus em alguns dias.

O doente deve fazer repouso, evitar se agasalhar excessivamente e ingerir muito líquido para evitar a desidratação proporcionada pela febre. Na maioria das vezes, o paciente se recupera em uma semana. A recuperação costuma ser total, não deixando nenhum tipo de seqüela. É comum que ocorra durante alguns dias uma sensação de cansaço, que desaparece completamente com o tempo, geralmente em até quinze dias. No caso da forma hemorrágica, é recomendada a aplicação de soro e plasma. Em alguns casos mais graves pode haver a necessidade de transfusão de sangue.

Remédios que contém na fórmula o ácido acetil-salicílico (AAS, Aspirina, Melhoral, Doril) são contra-indicados em caso de Dengue, porque essa substância interfere nos mecanismos de coagulação e pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. Entretanto existem medicamentos que podem ser utilizados com um pouco mais de segurança, sempre com orientação médica.

Novas notícias nos meios de comunicação e sites de médicos famosos como o do Dr. Drauzio Varella, apontam inclusive para o perigo de se ingerir a substância conhecida como Paracetamol, ainda hoje muito recomendada por alguns médicos para tratamento dos sintomas da Dengue. Essa foi realmente a orientação do Ministério da Saúde até que começaram a aparecer episódios inexplicáveis de lesão hepática nos pacientes com Dengue e a suspeita era de que tivessem sido provocados por excesso de paracetamol.

Segundo o Dr. Anthony Wong, médico pediatra e toxicologista no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, entrevistado pelo Dr. Drauzio em seu Blog, “se a pessoa tiver ingerido mais de três doses de álcool, se estiver vomitando há mais de doze horas, com diarréia há mais de 48 horas, febre acima de 39,5 graus, ou estiver com certas doenças tropicais, especialmente dengue, deve tomar paracetamol com muito cuidado porque essa substância pode provocar lesões hepáticas com mais facilidade”.

Mas não para aí as discussões sobre o uso dessa substância. Para o Prof. Dr. Edimilson Ramos Migowski de Carvalho, MD, PhD (Professor de Infectologia Pediátrica da UFRJ e vice-presidente da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro), o vírus do Dengue é um Flavivirus, do mesmo gênero do vírus da hepatite C e da febre amarela, que também são hepatotrópicos. Assim, a hepatite não pode ser considerada uma complicação do dengue, pois faz parte da história natural da doença. Alerta o cientista que o vírus do dengue causa, em praticamente 100% das pessoas infectadas, um quadro de hepatite, e o paracetamol é muito tóxico para esse órgão e poderá agravar o problema. Paracetamol é uma substância que exige um esforço do fígado para metabolizá-la. Segundo o especialista, a diferença entre a dose terapêutica e a tóxica é muito pequena.

Fonte: Portal Guaratiba

Última atualização: 15/04/2011

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais


1 Comentário Publicado

  • paula — 25/04/2011 @ 19:50

    estou preocupada pois qd tive alta hospitalar a medica me informou que eu estaria com hepatite meu medico achou muito estranho essa hepatite a médica disse que não seria necessario me separar de nimguem eu tenho duas crianças fui ao meu medico e ele achou tudo isso muito estranho



Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem