19/04/2011

Número de casos diminui, mas especialista alerta para risco de epidemia de dengue em 2012

O alto número de casos de dengue registrado no Rio de Janeiro em 2011, inclusive de pessoas afetadas pelo chamado tipo 4 da doença, deixou as autoridades em alerta para uma possível epidemia, que felizmente não se concretizou nos primeiros meses do ano. As estatísticas de incidência de casos na cidade em abril, divulgadas pela secretaria municipal de Saúde, já revelam uma tendência de queda. Mas ainda não dá para comemorar. No último sábado, um menino de 5 anos morreu com suspeita da doença em São Gonçalo, na Região Metropolitana. Para o infectologista Alberto Chebabo, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, o grande número de casos pode indicar uma possível epidemia no próximo ano.

- É muito difícil prever, mas como tivemos um aumento muito grande do número de casos em comparação com 2009 e 2010, isso sinaliza para uma possível epidemia no próximo ano. Mas é claro que isso depende de muitos fatores, como a campanha de prevenção, as chuvas do período e até mesmo a permanência do vírus tipo 4 no Rio – explicou.

Para acompanhar a evolução dos casos na cidade, inclusive nos bairros, o site do GLOBO preparou um mapa da dengue , que será atualizado todos os dias com os números oficiais da secretaria municipal de Saúde do Rio. Com o auxílio desta ferramenta, os leitores poderão acompanhar a incidência da doença nos bairros do Rio por mês, e saber quais regiões concentram o maior número de casos registrados.

Até esta segunda-feira, dia 18 de abril, a cidade do Rio já havia registrado 24.437 casos da doença este ano, cerca de quatro vezes o número registrado nos anos de 2009 e 2010 somados. Nas duas últimas semanas, no entanto, o número de casos registrados caiu de 2.907 para 655 no Rio. Segundo Chebabo, os casos começam a diminuir a partir da segunda semana de abril, e no inverno, normalmente, chegam ao menor índice de incidência.

- Faz parte do ciclo do mosquito. Mas isso não quer dizer que as pessoas devem parar de se preocupar. Até porque o combate não se faz apenas na época do aumento dos casos. Os ovos dos mosquitos, por exemplo, duram até um ano. As pessoas devem continuar em alerta – afirmou.

Até o momento, já foram registradas 35 mortes no estado do Rio, e autoridades de saúde investigam a morte do menino de 5 anos com suspeita da doença. A criança, que morava na comunidade Buraco do Boi, em Niterói, foi atendida na sexta-feira passada no Hospital infantil de São Gonçalo. Segundo a família, o médico disse que ele estava com a garganta inflamada e receitou um antibiótico e dipirona. O menino voltou para casa, continuou a passar mal, e foi encaminhado para uma clínica particular conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS), a Casa de Saúde Menino Deus, em São Gonçalo. Mas, de acordo com a família, não havia médicos. A criança ainda voltou ao hospital infantil, mas morreu na noite de sábado.

A família afirma que foi erro médico. De acordo com o telejornal RJ-TV, da TV Globo, a prefeitura de São Gonçalo, responsável pelos hospitais onde o menino recebeu atendimento, foi procurada, mas ninguém se pronunciou. Ainda de acordo com o telejornal, a Prefeitura de Niterói informou que uma equipe de agentes de saúde vai nesta terça-feira à região onde o menino morava.

Fonte: Globo

Última atualização: 19/04/2011

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais


1 Comentário Publicado

  • meire — 19/04/2011 @ 14:42

    atenção a Dengue mata limpe seu quintal faça sua parte mantenhas os depositos de agua tampados lixo bem acondicionado não jogue lixo nas ruas ou a Dengue vai fazer milhares de vitimas.



Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem