04/03/2011

MT tem 112 casos diários de dengue

Em uma semana, 783 pessoas contraíram dengue em Mato Grosso. Por dia, o Estado contabilizou 112 casos da doença no período. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), eram conhecidos, até o dia 24 de fevereiro, 2.505 casos da doença. Anteontem, o número saltou para 3.288. Com esta marca, desde o dia 1º de janeiro o Estado registrou por dia 54 novos casos de dengue.

Ainda segundo balanço da SES, três pessoas não resistiram às complicações da doença e morreram. Os casos foram registrados nos municípios de Pedra Preta, General Carneiro e em Cuiabá. A morte na Capital ainda está sendo investigada.

No mesmo período do ano passado os números eram bem maiores, com 27.170 casos notificados. Para as autoridades de saúde, a redução brusca da quantidade de casos se deve ao fim do período epidêmico causado pelo sorotipo 2, que se alastrou por todos os municípios mato-grossenses. Quem ainda está contraindo dengue são pessoas sem imunidade ao sorotipo.

CUIABÁ – A evolução da doença é mais preocupante em Cuiabá, onde está concentrada a maior população do Estado. A Capital mantém sete dos 12 casos graves diagnosticados até o momento e notificou outros 386 casos da doença. O Levantamento de Índice Rápido de Infestação (Lira) saltou de 3,4 para 6,4, o que significa que a cidade corre risco iminente de passar por um surto.

Segundo a coordenadora do Programa da Dengue em Cuiabá, Alessandra Carvalho, um novo levantamento está sendo feito na Capital por meio de visitas dos agentes de saúde que vão alcançar até 12 mil imóveis. “Se não houver contribuição maior da população, Cuiabá pode viver sim um risco de uma epidemia”, revela.

Praeirinho, Bela Marina e São Mateus são os bairros mais críticos. Nesses locais, de cada 100 imóveis, 12 apresentam larvas do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Em relação ao projeto de retirada dos ferros-velhos do perímetro urbano da Capital, Carvalho se mostrou favorável à medida, que tramita na Câmara de Vereadores de Cuiabá e é de autoria do vereador Antônio Fernandes. “Esta medida é mais um instrumento de controle da doença. Além da dengue, esses locais acumulam roedores, escorpiões e baratas. Deslocando estes estabelecimentos para outros espaços, a qualidade dos trabalhos de prevenção só tende a melhorar”, salienta.

Carvalho disse ainda que os mutirões de limpeza, as multas contra terrenos baldios irregulares e o combate às casas abandonadas – que funcionam como criadouros de mosquitos – são medidas práticas contra o avanço da doença em Cuiabá.

Fonte: Diário de Cuiabá

Última atualização: 04/03/2011

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais

Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem