11/04/2011

Mitos e verdades sobre a Dengue

Circula na internet um email dizendo que a dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, pode ser prevenida com o consumo constante de inhame. Mas será verdade?

Para ajudar a tirar as dúvidas em relação ao assunto, o infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e autor do livro “A história e suas epidemias” fala, em entrevista ao eBand, sobre os mitos e verdades a respeiro da dengue e do consumo do tubérculo como remédio.

1 – É verdade que o inhame ajuda a prevenir a dengue? E curar a doença?

Mito. Não há qualquer trabalho científico que mostre eficácia do inhame na prevenção e nem no tratamento da dengue. Sendo assim, não é verdade.

2 – Uma boa alimentação garante imunidade à doença?

Em partes é verdade. Não há algum alimento específico contra a dengue. Porém, uma alimentação incluindo frutas e vegetais, torna o organismo da pessoa mais saudável e o sistema imunológico mais eficiente. Isso é válido para qualquer doença infecciosa. Bem como uma vida saudável, com sono correto, sem ingestão de álcool ou uso de cigarro.

3 - É verdade que apenas um paciente se tem apenas febre já pode estar com dengue?

Mito. Usamos critérios para fazer a suspeita de dengue. Nesse caso, a definição é relativamente simples. O paciente pode estar com dengue se apresentar febre, com duração menor que uma semana, mas associado a dois dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dores musculares, dor atrás dos olhos, dor nas juntas, queda do estado geral, manchas avermelhadas pela pele.

4 – Uma pessoa com os sintomas da dengue pode se tratar apenas em casa?

Não. Todo paciente com esses sintomas deve procurar o pronto-socorro para avaliação. Somente com o exame físico realizado pelo médico saberá se o tratamento pode ser realizado no domicílio, com rigorosa hidratação oral, ou se será necessária internação para hidratação endovenosa.

5 - Apenas Paracetamol e Dipirona podem ser usados pelo paciente?

Verdade. O tratamento consiste em hidratação rigorosa e controle das complicações, além de Paracetamol e Dipirona, em caso de dor. Mas devemos evitar medicamentos que possam desencadear os sangramentos da doença ou piorá-los, como AAS ou outros salicilatos, além dos antiinflamatórios.

6 – Os sintomas da dengue tipo 4 são diferentes dos outros tipos da doença?

Mito. Os sintomas da dengue são iguais para qualquer um dos quatro tipos de vírus da doença.

7 – A dengue tipo 4 é mais preocupante que as outras?

Verdade. A dengue causada pelo tipo 4 não é mais ou menos severa que os outros tipos. Mas a preocupação consiste no fato da população brasileira não ter tido contato com esse vírus, pois acaba de chegar ao nosso solo. Por isso, todos estão vulneráveis e a doença poderá se transformar em epidemia.

8 – Uma vacina para conter o vírus está sendo estudada?

Verdade. As pesquisas estão em andamento há anos e há previsão da vacina para aproximadamente 3 a 4 anos.

9 – A pessoa que teve a doença fica imune após o tratamento?

Mito. Existem quatro tipos de vírus da dengue, classificados como 1, 2, 3 e 4. O doente pela dengue, ao curar-se, fica imune àquele tipo que adoeceu. Porém, pode voltar a ficar doente por um dos outros três tipos.

10 - Apenas a fêmea do mosquito transmite a dengue?

Verdade. No caso, a fêmea porque é ela que precisa do sangue para a postura de seus ovos.

11 – É possível que uma pessoa infectada passe a doença?

Mito. Uma pessoa infectada não transmite a doença ao próximo. Apenas o mosquito infectado transmitirá ao homem pela picada.

12 - Qualquer inseticida mata o mosquito?

Não. Deve ser inseticida adequado e eficaz contra o mosquito, que, por sua vez, também adquire resistência a determinados inseticidas. Por isso, os inseticidas e larvicidas devem ser indicados e empregados pelos agentes de saúde dos municípios.

13 – Repelentes ajudam a população a não pegar a doença?

Em partes. Os repelentes podem evitar o mosquito, mas não são indicados como profilaxia. Isso porque têm um efeito transitório e não duradouro. É inviável utilizar repelentes todos os dias e em todos os momentos para evitar a doença. Eles podem causar irritação da pele e deve-se tomar cuidado com as crianças com repelentes em mucosas orais, nasais e oculares.

14 - É verdade que o mosquito não pica durante a noite?

Verdade. O mosquito transmissor da dengue tem hábito diurno, por isso é raro picar à noite.

15 – O mosquito infectado pode não transmitir a doença?

Sim. Da mesma forma que nem todos os humanos infectados desenvolvem sintomas, alguns podem ser assintomáticos ou sintomas muito leves.

As mortes por dengue no Brasil diminuíram no primeiro trimestre em comparação ao mesmo período de 2010. Segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta quarta-feira (4), a queda equivale a 64% dos óbitos do ano passado. No entanto, a doença não deixou de atingir e preocupar a população em todo o país.

Segundo o infectologista, o melhor método para prevenir a dengue é evitar a proliferação do mosquito, que se reproduz em água parada. Portanto, faça limpeza de calhas e não deixe plantas com pratos para acúmulo. Caixas d’água também devem ser bem vedadas.

Fonte: Eband

Última atualização: 11/04/2011

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais

Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem