15/02/2012

Dengue: infectologista quebra mitos e dá dicas sobre a doença

Durante este período do ano a incidência de dengue pode aumentar, por isso é bom ficar atento aos sintomas e precauções que devemos tomar. O infectologista Alexandre Naime Barbosa, da Unesp de  Botucatu, no interior de São Paulo, tira as dúvidas e dá algumas dicas para a infecção. Confira:

Prevenção
Para se prevenir, alguns cuidados são necessários:

- Piscinas tratadas não oferecem risco nenhum, mas quando elas estão abandonadas, podem se tornar grandes criadouros de dengue. Lembre-se: qualquer outro recipiente não permeável pode acumular água.

- Aplicar repelente no corpo trêz vezes ao dia é uma boa saída. O odor do produto afasta mesmo o mosquito. Perfumes também têm esse efeito. O problema é que, com a transpiração, o repelente também é eliminado. Deve-se ter cuidado também com o uso indiscriminado em crianças, devido ao risco de terem reações alérgicas ao produto.

- Outra dica é o uso de velas de andiroba. O produto realmente inibe o mosquito, mas seu raio de ação é limitado aos cômodos em que é usado.

- Pingar algumas goras de água sanitária nos casos de planta também evita que o mosquito deposite ovos no local. A fórmula caseira faz efeito, já que as larvas se desenvolvem apenas em água limpa. Borra de café ou regar as plantas com um pouco de sal diluído também é uma solução.

- Quanto ao consumo de complexo B diário que eliminaria a possibilidade de adquirir a doença, especialistas divergem sobre o assunto. A eficácia do método não é comprovada.

- Fontes d´água potável, como poços e caixas d´água, oferecem mais condições que os vasos de planta, portanto mantenha esses locais sempre fechados.

A picada
É importante saber que as sensações das picadas do mosquito da dengue são as mesmas dos mosquitos comuns. Mas preste atenção: o aedes aegypti normalmente ataca durante o dia, já que ele tem hábitos diurnos. Raramente eles podem picar durante a noite.

Ação do vírus

O vírus invade alguma célula, pode ser do fígado ou um glóbulo branco, por exemplo, e dá início a um processo de multiplicação, até que este se rompa. A partir de então, outras células são invadidas até que o sistema imunológico identifique a ação e crie anticorpos.
Esse processo se dá, geralmente, no quinto ou sexto dia de doença.

Sintomas
A intensidade dos sintomas varia muito de pessoa para pessoa. A febre e as dores no corpo, entretanto, são comuns a todos. Deve-se procurar um médico a partir da primeira desconfiança. Para não confundir com uma gripe normal, fique de olho: anchas vermelhas pelo corpo podem ser um diferencial, mas elas não aparecem em todos os infectados.

Dengue hemorrágica
A morte por dengue acontece quando a pessoa sofre uma lesão muito grave no fígado, desidrata ou tem grande queda de pressão arterial ou do número de plaquetas. Um mito: só tem dengue hemorrágica quem é reincidente na doença.

Pessoas com imunidade mais baixa, debilitadas, podem ser infectados e desenvolver a forma mais grave no primeiro ataque do mosquito, apesar de que a maioria desses casos realmente ocorre na reincidência da doença.

Outro mito é o de que a dengue clássica não mata. Este tipo mais simples pode levar à morte sim. Pessoas com histórico de doenças cardíacas, por exemplo, podem enfartar se estiverem debilitadas.

Tratamento
Depois de consultar um médico, o tylenol realmente pode ser tomado, pois atua sobre alguns sintomas da dengue, mas não é recomendada a automedicação, pois existe o perigo de intoxicação. Aos primeiros sintomas, deve-se procurar um médico.

Fonte: G1

Última atualização: 15/02/2012

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais


5 Comentários Publicados

  • Carlos Gustavo Fiorini — 18/02/2012 @ 13:48

    Senhores. Estou tentanto divulgar pelo País todo Campanha de Plantio da Crotolária Juncea, que atrai a Libélula, maios predadora
    do Aedes aegypti, tanto larva como adulto. Cidades que adotaram esta medida, somando-se aos cuidados normais tiveram sucesso.
    O MINISTÉRIO PRECISA SABER: Prefeitos, funcionários dos setores
    epidemiológicos e agentes encarregados, etc, em sua maioria, são desinteressados, incompetentes, desconhecem a questão dengue.
    A população mais ainda: em pesquisa que fiz em 12 cidades o nível de conhecimento e prevenção é abaixo de 15%. Uma forte campanha na mídia poderá melhorar muito, pois a campanhas de TV, rádios, jornais, etc são poucas esclarecedoras e atinge poucas pessoas. O MINISTÉRIOS TEM FORÇA PARA, ATRAVÉS DO GOVERNO INCLUIR A PREVENÇÃO-DIVULGAÇÃO EM NOVELAS, PROGRAMAS DE ALTA AUDIÊNCIA: BBB, Mais Você,
    Jornais, Silvio Santos, Pânico, etc.
    Em outros e-mails estarei enviando matérias sobre CROTOLÁRIA JUNCEA.
    Agradeço atenção. ATIVEM A CAMPANHA
    Carlos G.Fiorini – pesquisador/escritor/educador
    F: 19.3672.1586
    Santa Cruz das Palmeiras – SP


  • Carlos Gustavo Fiorini — 18/02/2012 @ 13:51

    DENGUE MATA: BAIXA CONSCIENTIZAÇÃO E A CROTOLÁRIA
    Carlos G. Fiorini – escritor/pesquisador/educador
    A dengue está voltando, o mosquito Aedes aegypti está sendo encontrado e criado em todos os cantos. Doenças dos vírus tipos 1 e 4 estão atacando em todas as regiões mas, os tipos 2, 3 e o hemorrágico também estão fazendo vítimas. Agravantes: a população não tem consciência do perigo e praticamente em todas as casas existem a larva do mosquito transmissor. Neste final de ano fiz levantamentos em Ribeirão Preto, Campinas, Rio Claro, Pirassununga, Itirapina, Tambaú e Santa Cruz das Palmeiras e o conhecimento, prevenção, alerta e conscientização do perigo da dengue está abaixo de 15% da população. A maioria não sabe nada, uns acham que o transmissor é um besourinho ou através do ar, outros dizem que o mosquito é criado na água suja e maioria não conhece sintomas e formas de evitar o ataque do vetor.
    Mas tem jeito e a solução é simples. Nas cidades de Sorriso-Mato Grosso, Matão e Orlândia-São Paulo e outras não há casos de dengue desde final de 2009. Em abrangente campanha fizeram a população plantar a CROTOLÁRIA JUNCEA, arbusto que nasce, cresce e floresce rapidamente e, sua flor atrai a LIBÉLULA; a larva deste inseto come larva do mosquito e a libélula adulta é a maior predadora do Aedes aegypti.
    Prefeitos, vereadores, setores de saúde, entidades e pessoas particulares vamos incentivar o plantio da crotolária juncea e deixar que a libélula faça a limpeza, uma vez que o povo pouco contribui e os trabalhos dos setores epidemiológico e vigilância sanitária são poucos eficientes e, ainda, em algumas cidades, deliberadamente o combate ao vetor é falso (faz-se nebulização sem o produto que mata o mosquito, apenas um fumacê político).
    Algumas fazendas plantam os vários tipos de crotolária para fixar o nitrogênio no solo e, lojas agrícolas fornecem sementes em sacas de 40 quilos; o plantio de duas a três sacas de crotolária é o suficiente para eliminar o mosquito da dengue de uma cidade de 40 mil habitantes.
    Mesmo com o projeto crotolária-libélula em ação, os trabalhos básicos de prevenção devem ser intensificados: limpeza de quintais, terrenos baldios, eliminando-se criadouros de pneus, garrafas, vasos, ralos, calhas, plásticos e outros locais com água parada. Adicionando-se água sanitária, detergentes, sal, pó-de-café após ser coado, sabões e outros produtos onde há água parada as larvas são eliminadas e evita-se a proliferação do terrível mosquito. Repelentes e cremes na pele evitam as picadas do Aedes aegypti.
    Este modesto pesquisador apresentou o plano de plantio da crotolária às prefeituras e às vigilâncias sanitárias de várias cidades da região e à mídia em geral.
    Vejam site: http://www.jardimdasideias.com.br/365-um_arbusto_no_combate_a-dengue


  • Carlos Gustavo Fiorini — 18/02/2012 @ 13:54

    Jardim das ideias
    Um arbusto no combate à dengue – 2011/2012
    Originária da Índia, a Crotolaria juncea é considerada excelente na adubação verde. Agora é também uma arma biológica no controle da dengue

    Crotolaria juncea

    Da família das leguminosas, é de crescimento extremamente rápido, alcançando mais de um metro de altura em quatro meses. É uma das mais eficazes para fixar nitrogênio no solo e promover a reciclagem dos nutrientes. Popular no Nordeste, onde é conhecida como xiquexique, aguenta a seca e controla nematoides, esses vermes de solo que parasitam as plantas enterrando a cabeça na raiz, ou entrando na planta por inteiro, provocando um inchaço, ou uma galha.
    Nos jardins, a showy rattlepod, como é chamada em inglês, atrai a libélula que põe seus ovos em águas limpas e quietas, igual ao Aedes aegypti. Essas larvas da libélula se alimentam de outras larvas, inclusive daquelas que transmitem a dengue. A libélula já adulta também se nutre de pequenos insetos, e o Aedes aegypti faz parte do seu cardápio, diminuindo a proliferação do mosquito.

    Libélula
    Na cidade de Sorriso, na região norte do estado de Mato Grosso, a Prefeitura decidiu, além dos cuidados básicos, distribuir sementes de crotalária, atendendo à recomendação da Engenheira Agrônoma Cyntia Giacomeli. De acordo com ela, a ideia surgiu em um congresso de produtores rurais no ano passado. O Clube Amigos da Terra resolveu financiar as sementes que hoje são distribuídas gratuitamente pelos agentes de saúde.
    Outras cidades como Matão-SP, já experimentaram essa leguminosa com sucesso, distribuindo mudas. Na última terça-feira, o administrador do Viveiro Municipal de São José do Rio Preto, Anderson Bessa, esteve lá para conhecer o projeto que é desenvolvido na cidade desde outubro do ano passado. A assessora de Saúde Claudia Maset afirma: “O projeto implantado no ano passado tem apresentado até agora bons resultados. Este ano registramos somente um caso importado de dengue. Já os casos suspeitos são de pessoas que estiveram em cidades com centenas de casos positivos registrados, e boa parte de nossa população fica em Rio Preto, a trabalho ou a passeio. Ajudando as cidades no combate a dengue estaremos protegendo nossos moradores. Nos colocamos à disposição das cidades que queiram implantar o projeto.”

    A ideia está tomando conta de várias cidades de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, que ligaram para obter mais informações sobre esse projeto. No jardim, basta semear de 20 a 25 sementes por metro quadrado ou semeá-las em vasos. Por ser rústica, a crotolária cresce sem problemas em solos secos, arenosos, pedregosos e até em áreas arenosas de região costeira.
    Site: http://www.jardinsdasideias.com.br/365-um_arbusto_no_combate_a_dengue
    Divulgação do Projeto Crotolária-Libélula-Dengue, em todo o Brasil, pelo escritorEducador, pesquisador, diretor da Associação Comercial e Empresarial de SCP, Carlos Gustavo Fiorini


  • gabryelle — 09/03/2012 @ 21:51

    bom eu agradeço muito pois eu já sei que posso ajudar alguem da minha familia muito obrigada mesmo


  • Fabiana — 15/03/2012 @ 16:33

    Por favor se eu tenho dengue e um outro mosquito qualquer como um pernilongo me picar, e em seguida picar outra pessoa, isso transmitira para outra pessoa?



Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem