10/05/2013

Dengue faz a 12ª vítima da Baixada Santista

Mais uma vítima da dengue faleceu na madrugada desta quarta-feira, por volta das 3 horas, no Hospital Ana Costa, em Santos. O mecânico  Marcelo César Vasconcelos é a décima segunda vítima na região este ano.

Segundo a estudante Luciana Cristine Vasconcelos de Souza Montrezol, sobrinha de Marcelo, o tio começou a sentir-se mal no dia 10 de abril.  “Até o 16 ele foi quatro vezes no pronto-socorro do hospital Ana Costa, em São Vicente, – onde morava – mas todas as vezes, os médicos o mandavam para casa se hidratar”.

Ela diz que ele fez exatamente isso, porém no dia 16 começou a delirar de febre e foi levado mais uma vez ao PS do Hospital, mas lá foi encaminhado ao Ana Costa de Santos.

“Ele foi internado e encaminhado para a UTI, onde o colocaram em coma induzido para que pudessem medicar. No final de semana ele melhorou e falou com a família, mas como os órgãos já estavam debilitados voltou a piorar”.

Luciana conta que tinha enorme carinho pelo tio e mostra toda sua indignação. “Ele morreu por um motivo tão besta, que é esse mosquito ridículo”. O corpo de Marcelo César Vasconcelos foi sepultado às 16 horas no cemitério do Parque Bitaru.

Em nota, o Hospital Ana Costa confirma o falecimento de Marcelo em decorrência a um quadro de complicações da dengue.

Baixada Santista

Nesta terça-feira, a Prefeitura de Cubatão confirmou três mortes pela doença, até então não havia óbitos no município.
Em Cubatão, os casos que estavam sendo investigados eram de pacientes que também apresentavam outras enfermidades: uma senhora de 56 anos, moradora na Vila dos Pescadores, falecida em 10 de março e portadora de obesidade crônica; um senhor de 63 anos, residente na Vila Esperança e falecido em 7 de março, com insuficiência hepática; e um rapaz de 15 anos, morador na Vila Fabril, falecido em 21 de abril, com anemia falciforme.

De acordo com a Prefeitura, os casos eram analisados pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO), órgão ligado ao Governo do Estado. Junto com estes resultados, o prontuário do paciente é analisado pelo Serviço Municipal de Vigilância Epidemiológica, a fim de verificar as doenças associadas e diagnosticar com precisão o motivo do falecimento.

Além de Cubatão, as outras cidades com óbitos foram: Santos (seis), Guarujá (uma morte por dengue hemorrágica) e São Vicente (uma dengue clássica e uma hemorrágica).

Dos noves municípios, só Itanhaém e Mongaguá faltam decretar epidemia na região, que já soma 19.802 casos desde 1º de janeiro. Mesmo diante do grave cenário, hoje, a Baixada Santista está com cerca de 5 mil casos a  menos da epidemia que a região enfrentou em 2010. Neste período, o saldo dos óbitos chegou a 71.

Fonte: A Tribuna

Última atualização: 10/05/2013

Leia também:

Combate à Dengue nas Redes Sociais

Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem