22/07/2013

Ceará tem 10 mortes por dengue só neste ano

O boletim ainda aponta crescimento de 11,81% no total de casos em sete dias, ou seja, 1.362 pessoas com a doença

Confirmada mais uma morte por dengue no Ceará. Ao todo, somam-se dez vítimas da doença em 2013. Os dados são do último boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), divulgado no dia 19. Segundo o documento, este novo óbito foi na cidade de Maracanaú, por uma das formas mais graves da doença, no caso a Dengue com Complicação (DCC).

Em 2013, foram isolados vírus de dengue em 28 amostras. Destas, 27 foram de DENV-4 e uma por DENV-1. Dos dez óbitos confirmados no Estado, cinco pertencem à Capital. A Regional VI possui mais pessoas com a doença FOTO: NATINHO RODRIGUES

Essa é primeira morte pela doença, neste ano, no município. Ao todo, a cidade possui 613 pessoas confirmadas com a doença e figura entre os 34 municípios com alta incidência, um total de 287,25 casos por 100 mil habitantes. Em meados de julho ano passado, em que houve epidemia, o Estado registrou 21 mortes, 14 delas na Capital.

O boletim também aponta um crescimento de 11,81% no total de casos confirmados em sete dias, ou seja, 1.362 pessoas foram atingidas pela doença. Destas novas confirmações, 498 pertencem a Capital.

Até o último boletim epidemiológico, o Estado possuía 12.885 confirmações da doença, dos quais 34,6% são de Fortaleza, o que corresponde a 4.464. Dos dez óbitos confirmados no Estado, cinco pertencem a capital cearense.

Das seis Secretarias Executivas Regionais (Ser´s) que dividem Fortaleza, a Ser VI é que possui mais pessoas confirmadas com dengue, no caso 1.335.

Dentre os bairros pertencentes a esta Regional, Messejana (197) e Barroso (169) são os que possuem o maior número de pessoas com a doença.

Além disso, dentre os bairros da Capital, o Bom Jardim (184), Mondubim (218), Canindezinho (163), todos estes na Regional V, são os que possuem maior número de casos.

Outra cidade que também possui muitos casos é Tauá, com 820 pessoas que contraíram a doença, ou seja, 6,3% do total de casos do Ceará.

Em 2013, até o dia 19, foram isolados vírus de dengue em 28 amostras. Destas, 27 foram de DENV-4 e uma por DENV-1, no município de Madalena, onde circula os sorotipos DENV-1 e DENV-4.

Incidência

Embora o Ceará registre uma baixa incidência da doença, no caso 149,72 casos por 100 mil habitantes, 24 municípios apresentam alta incidência da doença. Quatro destes entraram na lista nos últimos setes dias. São eles Eusébio, Ipaumirim, Trairi e Uruburetama. As 24 cidades em questão estão com incidência superior a 300 casos por 100 mil habitantes. Em 29 dias, 12 municípios foram inclusos nesta lista.

Uma das cidades com alta incidência é Cascavel, pertencente à Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), que confirmou viver uma epidemia. Pacajus, outro município da RMF, também está incluída neste grupo.

O índice descrito no documento preocupa, tendo em vista que o Ministério da Saúde classifica como indicativo de epidemia quando se registra uma incidência de 300 casos por 100 mil habitantes. Porém, fica a critério de cada Estado ou cidade declarar estado epidêmico ou não.

Dentre as ações de combate à doença, a Sesa divulgou o incremento de 80 profissionais capacitados no II Curso de Atualização para Agentes de Endemias da 10ª Região de Saúde, que o Núcleo de Controle de Vetores da Secretaria da Saúde do Estado (Nuvet/Sesa) realizou em junho deste ano.

As cidades onde a qualificação dos profissionais chegou foi Jaguaribe, Alto Santo, Ererê, Iracema, Jaguaribara, Jaguaribe, Limoeiro do Norte, Potiretama, Pereiro, Quixeré, São João do Jaguaribe e Tabuleiro do Norte. Em cinco cursos realizados neste ano, já foram treinados 400 agentes de endemias.

THAYS LAVOR
REPÓRTER

 

Fonte: Diário do Nordeste

Última atualização: 22/07/2013

Textos relacionados:

Combate à Dengue nas Redes Sociais

Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem